7.10.04

Azul

(...)

O mar invade às vezes a paleta
do pintor e transmite-lhe
um céu azul que apenas dá em segredo.

A sombra é mais azul quando o corpo
que a projecta já se desvaneceu.

O azul extático tem saudades
de ter sido puro azul em movimento.

Embora o azul não esteja no quadro,
envolve-o como um farol.

Disse o azul um dia:
– Hoje tenho um novo nome. Chamam-me:
Azul Pablo Ruiz Azul Picasso

Rafael Alberti
in Antologia Poética

2 Comments:

At 6:41 da tarde, Blogger Maizum said...

Este blog não anda nem desanda! :-)) Aehhhh! Assim não dá... ;-))

 
At 3:31 da manhã, Blogger Maizum said...

Afinal, nesta oficina ninguém trabalha?

 

Enviar um comentário

<< Home